Laboratório Cedro é pioneiro na implantação do diagnóstico molecular da tuberculose no Maranhão

Laboratório Cedro é pioneiro na implantação do diagnóstico molecular da tuberculose no Maranhão

Os exames inclusos na rotina de biologia molecular possuem grande eficácia e são recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS)

A tuberculose ainda é uma doença preocupante e, no estado do Maranhão, de acordo com o Sistema Nacional de Agravos de Notificados (Sinan), foram apresentados 2.390 casos da doença no ano passado. Com foco em inovação, o Laboratório Cedro é pioneiro na implantação do diagnóstico molecular de tuberculose no Maranhão.

O laboratório apoia o diagnóstico molecular, oferecendo resultados rápidos e precisos que propiciam ao médico responsável ministrar o tratamento do paciente de forma eficaz.

Segundo Elie Georges Hachem, diretor do Laboratório Cedro e sócio do sistema de saúde Unihosp, são indispensáveis diagnósticos assertivos em relação ao tratamento da tuberculose no Maranhão, principalmente tendo em vista o número de casos apresentados acima.

A identificação da doença é realizada por meio do método molecular e, no presente momento, é o método recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em decorrência de seu alto índice de especificidade e sensibilidade.

Vale lembrar que a tuberculose é uma doença infecciosa que ataca os pulmões e, apesar de ter cura, o número de pessoas que chagam a óbito todos os anos ainda é exorbitante. A transmissão ocorre com a distribuição da bactéria no ambiente, por meio de tosse do indivíduo contaminado, e com a inalação destas bactérias por pessoas saudáveis.

“É uma honra para nós que o nosso laboratório seja o pioneiro no diagnóstico molecular para tratamento contra a tuberculose. Prestar este serviço ao estado do Maranhão é a nossa grande fatia de contribuição para diminuir os casos da doença”, comenta Elie Georges Hachem.